Três meses após anunciar parceria com Butantan, Condemat afirma que negociações de convênio para usar plasma para tratar Covid no Alto Tietê estão suspensas


Segundo o Condemat, queda nas internações pela doença levou à suspensão. Plasma convalescente seria aplicado em pacientes com a Covid-19 no Alto Tietê.
Divulgação/Prefeitura de Batatais
Três meses após divulgar um convênio com o Instituto Butatan, do governo do estado, para que os pacientes com a Covid-19 no Alto Tietê recebessem transfusão de plasma convalescente durante o tratamento contra a doença, o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) informou que as negociações estão suspensas.
O plasma é a parte líquida do sangue. Ele é retirado de voluntários já curados da Covid-19 e aplicado no paciente infectado. Os anticorpos presentes no material auxiliam o organismo contaminado a se defender da doença até que o corpo tenha tempo de reagir e desenvolver os próprios anticorpos.
À época, o Condemat detalhou que a parceria previa auxiliar os municípios na gestão da logística para coleta, armazenagem, distribuição e utilização do plasma. A intenção era que as cidades se tornassem autossuficientes e passassem a receber o material por hemocentros da região.
Nesta quinta-feira (9), o consórcio informou que, considerando o controle da pandemia com redução significativa no número de casos de infecção por Covid-19, bem como o avanço na campanha de imunização, as tratativas de formalização de convênio junto ao Instituto Butantan para adesão ao tratamento de uso do plasma convalescente estão suspensas desde julho, quando foi constatada queda de 15% nos casos confirmados.
Assista a mais notícias do Alto Tietê
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.