VÍDEO: “Vou me entregar no meio do povo”, anuncia Zé Trovão

Ambos são acusados de incitarem atos antidemocráticos, segundo o STF. A prisão foi pedida pela PGR (Procuradoria Geral da República) e decretada pelo ministro do Supremo, Alexandre de Moraes.https://32809b24298b2f6bfac359d4728904eb.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Desrespeitando a ordem de Moraes, em decisão de 20/8, Zé Trovão, que mora em Joinville e é um dos líderes do movimento de 7 de Setembro, que promete paralisação de caminhoneiros, continua se manifestando pelas rede sociais e participando de lives.

Na última delas, nesta sexta-feira, Zé Trovão disse que só se entregará no dia 7 de Setembro.

“Vou me entregar dia 7 de setembro no meio do povo. Não quero que ninguém feche barreira. Pode deixar me prender”, avisou.montagem: zé trovão e o ministro alexandre de moraesZé Trovão, um dos líderes do movimento de 7 de Setembro, e o ministro do Supremo, Alexandre de Moraes – Foto: montagem de fotos/ND

Durante a live, Zé Trovão disse que não irá deixar o Brasil, mas hoje se encontra itinerante.https://32809b24298b2f6bfac359d4728904eb.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Desafiando a Justiça e a Polícia, o caminhoneiro ativista admitiu que quebrou a ordem do STF de não fazer vídeos e participar de lives e ameaçou quebrar mais uma delas: a de não se aproximar da Praça dos Três Poderes, dos ministros do Supremo e de senadores.

Segundo determinou o ministro Alexandre de Moraes, ele e outros organizadores do movimento estão proibidos de ultrapassarem a barreira de 1,5 km quilômetro de distância desses locais.

No entanto, Zé Trovão não desiste.

“Vou fazer o papel que me propus a fazer. Não vou incitar a violência nunca nesse país e, democraticamente, vou mostrar que o Brasil tem muito mais força do que dessas ações.  No dia 7 de Setembro, a gente conversa”, continuou na live.

VEJA VÍDEO:

Zé Trovão voltou a se referir à família que, segundo ele, não vê há quase um mês. “Minha esposa está a quilômetros de distância e faz mais de um mês sem poder ver a minha família. Tenho filhos, um recém-nascido.”https://32809b24298b2f6bfac359d4728904eb.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Depoimento à PF

Depois que teve de prestar esclarecimentos à Polícia Federal de Joinville por conta de um mandado expedido pelo STF, Zé Trovão fez um desabafo.

“Eu não posso mais dormir na minha casa, não posso mais ficar com minha família. Invadiram minha casa às 6 horas da manhã (20 de agosto). Minha esposa ficou desesperada. Tenho quatro filhos, um recém-nascido em casa. Para proteger minha família, tive de tirar de casa e colocar em outro lugar. Hoje, fico um dia em um lugar e outro dia noutro. Isso não é justo. Eu não sou bandido. Só quero meu país descente, com responsabilidade jurídica”, esbravejou.

A reportagem do ND+ ligou para a Polícia Federal para perguntar sobre o mandado de prisão. A PF, por meio da assessoria de imprensa, informou que não dispõe da informação bem como a PF não divulga nomes de investigados em qualquer circunstância.

Sobre a paralisação dos caminhoneiros

Em Joinville, no Norte de Santa Catarina, um dos pontos que deve ser bloqueado é o km 25 da BR-101. Segundo organizadores, a concentração será mais marcante às 14h, mas “vai ter o dia todo”, comenta Sipioni Allievi, do Movimento Direita Joinville.

PRF (Polícia Rodoviária Federal) afirmou que está monitorando as postagens e movimentações nas redes sociais, mas que “não é possível ter certeza que essas ameaças vão se concretizar”.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.