• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

    AGÊNCIA JF | Social - Repositório

Biden aprova mistura maior de etanol na gasolina em parte dos EUA a partir de 2025

Carro é abastecido com gasolina em posto em Los Angeles, nos Estados Unidos

Carro é abastecido com gasolina em posto em Los Angeles, nos Estados Unidos – Frederic J. Brown / AFP

Pedido atende solicitação de governadores do Meio-Oeste do país
O governo de Joe Biden afirmou nesta quinta-feira (22) que aprovou um pedido dos governadores do Meio-Oeste dos Estados Unidos para permitir a expansão das vendas de gasolina com misturas mais altas de etanol em seus estados a partir de 2025. A Reuters havia noticiado com exclusividade o anúncio iminente no início desta semana.
O governo dos EUA restringe atualmente as vendas de gasolina E15 (com 15% de etanol) nos meses de verão (inverno no Brasil) devido a preocupações ambientais com a poluição atmosférica, embora a indústria de biocombustíveis afirme que essas preocupações são infundadas.
A notícia é agridoce para o setor de etanol à base de milho, que vem lutando há anos pelas vendas de E15, ou gasolina com 15% de etanol, durante todo o ano, mas ficou frustrado na quinta-feira com a data de início de 2025, um ano depois da proposta.
Os governadores de Illinois, Iowa, Minnesota, Missouri, Nebraska, Ohio, Dakota do Sul e Wisconsin fizeram em 2022 o pedido de vendas de E15 durante todo o ano, dizendo que a mudança poderia ajudá-los a reduzir os preços nas bombas, aumentando os volumes de combustível.
Algumas refinarias de petróleo, no entanto, argumentaram que permitir o E15 em estados selecionados, em vez de em todo o país, poderia provocar aumentos localizados nos preços dos combustíveis e problemas de abastecimento.
O atraso permite ao governo adiar possíveis aumentos de preços decorrentes da decisão até depois das eleições presidenciais dos EUA de 2024, em novembro. Dois dos estados afetados pela decisão, Wisconsin e Minnesota, são decisivos na disputa deste ano.
A inflação e a economia são vulnerabilidades fundamentais para a campanha de reeleição do presidente Joe Biden.
A Agência de Proteção Ambiental enviou uma regra final sobre a proposta à Casa Branca em dezembro, com data de vigência de 28 de abril de 2024. O novo cronograma adiaria a data de vigência para 28 de abril de 2025.
“Ao estender a data de implementação, esta ação final reduz o risco de problemas de fornecimento de gasolina neste verão e os impactos nos preços que poderiam ter ocorrido com a implementação em 2024”, disse um funcionário da EPA na quinta-feira.
A EPA não comentou se emitiria uma isenção temporária permitindo as vendas do E15 neste verão.
“Não podemos especular sobre a temporada de verão de 2024. Continuaremos monitorando a situação, consultando estreitamente o Departamento de Energia e estaremos preparados para agir caso as condições o justifiquem”, disse a agência.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.